Gente Que Se Deve Evitar



Dicas Gerais | Religiosas Radicais | Pessoas Pobres Rudes | Radicais Políticos | Feministas Radicais | Lutadores Homem Grosseiros | Amizades ou Laços de Sangue Frágeis | Psicólogos e Psiquiatras Sem Empatia | Pessoas Famosas Arrogantes | LGBT Instaveis


Dicas Gerais

Este artigo originalmente foi escrito para que mulheres trans melhor se protegessem de certos tipos de pessoas extremamente prejudiciais; mas depois eu vi que as dicas se aplicam a qualquer pessoa na verdade. Quaisquer pessoa que "desafiar" a "ordem social", "ordem" esta que nem sempre é boa para todos, será cedo ou tarde atacada pela sociedade. Basta ser diferente. Na verdade, como você já seria atacada mesmo obedecendo as "regras" você não têm nada a perder. As pessoas ditas "normais" muitas vezes se importam mais em procurar "falhas" nos outros para se sentir melhor que alguem do que em reconhecer as suas próprias e melhorar como pessoa; do que trabalhar por um mundo melhor. Assim o fazem porque lhes é mais conveniente, não raro seus "argumentos" não tem quaisquer fundamentação concreta, racional.

Vários homens e mulheres ditos "normais" usam de argumentos ilógicos e insensíveis? Sim. Nem perca tempo discutindo com gente de intelecto limitado como estas; eles acreditam que estão sempre certos. Uma pessoa dita "normal" que ainda têm duvidas e não tem "a cabeça feita" a respeito não é tão agressiva, você claramente percebe e elas são mais raras; se quiser você pode debater com elas. Existem também pessoas radicais dentro de grupos considerados oprimidos que ficam agressivas porque a pessoa não engole tudo o que ela fala referente a um dado tema, sendo que as vezes nem não são coisas relevantes; isso também é errado. Eu gostaria que as pessoas tivessem me relatado o que eu estou prestes a falar à você, leitora, no começo de minha vida; mas eu tive de descobrir do jeito difícil: Experiência direta. Espero que você possa aprender comigo e poupar a si mesma de muito stress desnecessário. Eu me esforcei para tentar ser objetiva e focar apenas em fatos, apesar das experiências desagradáveis. Para ser bem específica, eu indiquei o tipo de pessoa dentro desses grupos que ofendem aos outros; eu não considerei todo o grupo culpado. Consulte o artigo da área de blog deste site sobre "conselhos de vida" para mais informações sobre como identificar este tipo de gente.

Religiosas Radicais

Estas podem ser uma das piores em minha opinião; porquê em teoria deveriam ser aqueles mais atenciosos com as minorias hostilizadas pela sociedade em geral devido a serem mais "próximos de Deus", e portanto mais evoluídos intelectualmente e moralmente, correto? Errado.

Se vocé for uma mulher transexual, então "a merda bate no ventilador" como as pessoas dizem; pois você estará drasticamente alterando o seu corpo e desejando se encaixar em um papel social (feminino) para o qual você "não têm permissão de desempenhar por ter nascido homem", logo, para eles você está "indo contra Deus/a natureza". Pior se for pessoa trans E dentro disso for considerada homessexual, pois sua orientação sexual "confirmaria" que seria homem ou mulher. O interessante é que na natureza existem animais que mudam de sexo, as vezes sendo capazes inclusive de ir e voltar; e a ciência mais e mais entende que não somos mulheres trans por decisão.

Um exemplo que dou seria uma página web que vi em 2018 onde um "pastor extremamente estudado" queria dizer que ele tinha "provas" de que a transexualidade seria uma "ilusão" e que "pessoas transexuais deveriam buscar refúgio em Deus para curar as suas mentes, para se salvar do diabo". Ele apresentou um único caso de um homem cis que em um sanatório alegou ser mulher apenas em resposta a seu amigo lunático que dizia ser "napoleão", e chegou a "maravilhosa" conclusão que toda pessoa transexual se encaixava neste caso. Por quê? Porquê era conveniente a ele distorcer os fatos, eles o fazem o tempo todo. Ele apontou a alta taxa de suicídio e apenas mostrou casos de pessoas infelizes com a sua transição, as vezes devido ao fato de que NÃO eram pessoas trans. Em momento algum ele mencionou a fatia de pessoas transexuais cujas vidas melhoraram enormemente após concluir a transição. A verdade é que existem casos ruins e bons dependendo do ambiente, dinheiro, organismo e se realmente são pessoas trans. Eu tive mesmo um conhecido na faculdade que me disse que "algumas pessoas iriam para o inferno pelo que acreditam" se referindo a mim, tendo em vista que eu não pertencia mesma religião que ele.

Eu tive inclusive uma prima com fama de "santa" que defendeu um trabalho universitário de outra pessoa sobre como "casais do mesmo sexo não são casais de verdade", alegando que "as pessoas têm o direito de se expressar" sendo que ela era religiosa e provavelmente tinha algo contra pessoas LGBT. A universidade fez bem em proibir, pois pessoas religiosas tem essa conveniente miopia moral que os faz considerar fatos reais que os contrariam como uma mera "opinião", mas já se eles dizem algo? Aí isso seria "uma verdade" e não uma discriminação aberta. O cinismo dos argumentos destes espanta as vezes mesmo a mim que já vivi muito.

Outra pessoa disse para mim que ela não "aprovava" o que eu era, mas quem era ela para aprovar ou não os outros? Deus? A "opinião" dela não significou nada para mim, ainda mais levando em conta o passado "pecador" desta... A arrogância é um traço comum dentre vários eles. Um último exemplo foi quando precisei mudar o meu histórico escolar em nome e sexo em minha antiga escola (religiosa) chamada "Santa Rosa", localizada na cidade de Belém do Pará: A "gentil" diretora foi rapida em calmamente dizer que eu "não poderiam os mudar, pois a lei não permite". Eu chamei uma pessoa do governo e esta disse que eu poderia e deveria dizer a diretora isso; e quando eu fui falar com a diretora novamente dizendo o que a oficial do governo me disse, qual foi a minha surpresa quando ela continuou repetindo como se eu fosse uma idiota o seu mantra pessoal e conveniente de que "a lei não permite, eu já disse isso para pessoas como você no passado". Pessoas como eu? A diretora estava tão empenhada em negar a uma mulher trans o seu direito que mesmo comigo dizendo que se ela não acreditava era para ela ligar para o telefone da oficial de governo que eu indiquei ela se recusou! Inclusive ela visivelmente ficou "incomodada" com a minha "insistência", como se tivesse esse direito... A oficial do governo ficou tão constrangida com tamanha injustiça que ligou ela mesma para aquela diretora "abençoada por Deus e amorosa" para a forçar a obedecer as leis da sociedade moderna... em alguns dias rapidinho saiu o meu novo histórico escolar e mesmo assim a diretora nunca se desculpou...

Um deles apoiava que mulheres estupradas fossem obrigadas a manter a gravidez indesejada, porquê ele era um "defensor da VIDA" (caixa alta real) e que "mulheres de verdade nunca abortariam"... mesmo que uma mulher pudesse morrer devido a gravidez mas pudesse perfeitamente ter filhos depois, mesmo que esta mulher não desse conta de criar tal filho levando em conta que as pessoas que as criticam não levantam um dedo depois para as ajudar a criar, só sabem falar mesmo; e mesmo que a mulher fosse uma criança. Quando eu disse que ele não era uma mulher para dizer o que uma deve fazer ou sentir, que nem todas as mulheres compactuam com o ponto de vista dele e o convidando a continuar o debate no lugar que ele desejasse por achar que este esclareceria a mente de muitos; tudo o que ele disse foi que aquilo era a minha "opinião" (era um fato) e que ele "tinha a dele", mas ao mesmo tempo ele em contradição logo disse que "discordava totalmente" de mim enquanto ele estava certo. Tá "serto". Inclusive ele fez a alegação absurda de que "se concordamos em tirar a vida de um feto, como podemos pedir para as pessoas não se matarem?" comparando o aborto a algo como um latrocínio. Mesmo sendo visível que ele estava perdendo o controle devido a não poder apresentar contra-argumentos convincentes ao que eu disse educadamente, indicativo de que as suas crenças pessoais estavam sendo abaladas, ele ao fim se recusou a ver os fatos apresentados e encerrou o debate. Ele ainda foi apoiado por mais gente como ele, e é muito provavel que ele deletou o debate depois.

A maioria de meus "amigos" religiosos pré-transição rapidamente sumiram quando eu revelei ser trans, e outros mais "educados" ficaram mais distantes e eu tive de os remover de minha vida por terem se tornado "peso morto". Você não precisa de religião para ser boa ou acreditar em pós-vida. A verdade é que várias possuem apenas um verniz de "moralidade", sendo apenas um punhado de gente desesperada e não raramente desprovidos de posses que são incapazes de aceitar a realidade como ela é; pessoas que não raro têm baixa auto-estima e mais falhas que as outras ditas "não-religiosas". As pessoas citadas sacrificam a sua individualidade e livre arbítrio para viver em uma "pôneilândia mental" em que são "melhores que os outros" por terem sido "escolhidos por Deus" como o dito por seus "líderes religiosos" de acordo com a sua interpretação de seus "livros sagrados". Soa algo digno de lunáticos para mim. Um grande pensador do passado inclusive chamou a religião de "o ópio do povo", pois como uma droga é usada para fugir da realidade e simultaneamente torna as pessoas mais instáveis ainda do que já são. Nestes casos, não tenho o que discordar. O engraçado é que as vezes os seus "livros sagrados" de fato falam sobre amar os outros seres vivos, sendo apenas eles que lêem tudo ou apenas uma parte objetivando apenas seus interesses mesquinhos ou mesmo pasmem, não lêem nada e apenas engolem a interpretação de terceiros a respeito por pura preguiça ou incapacidade de pensar por si mesmos. Você acharia que suas dificuldades os tornariam mais sensíveis ao sofrimento alheio, mas não. Infelizmente, a humanidade nunca aprende.

Na grande ilusão adotada por essas pessoas, quem não compactua com as suas crenças pertence a uma "religião falsa" mesmo que este "outro" nem religião tenha; pois assim como eles agem como "dóceis carneirinhos" que aceitam tudo o que seus "líderes religiosos pastores" dizem para fazer objetivando "ir para o céu", eles esperam o mesmo de todos e não irão tolerar que ninguém diga indiretamente ou diretamente que eles estariam errados. A sua mera existência como uma mulher trans seria uma ofensa para eles; e mesmo que pareçam aceitar você, eles estariam apenas sendo "educados" e na verdade não aceitam o que você é. O que é mais divertido é que como cada religião têm a sua versão da "verdade" sobre a vida após a morte, isso mostra que ninguém realmente sabe como seria, do contrário existiria apenas uma única versão. Os seus "líderes religiosos" focam muito no que é incerto ao invés da vida real, pois o que não se pode saber é uma conveniente ferramenta para manipular os outros para que tenham a conduta deseja, de preferência uma em que seus líderes ironicamente ganham benefícios materiais como riquezas. Engenharia social de ponta. Isso está ótimo para suas "ovelhas", pois serão supostamente "recompensadas por Deus" ao morrer... realmente esperavam outra coisa de quem gosta de ser chamada de "ovelha" e que chama seus líderes de "pastores"? Uma morte em vida como diria Nietzsche.

Eu vi tantas vezes alguém em um estado miserável e eles serem os únicos com a iniciativa de os "ajudar"; e de fato o fizeram, mas várias vezes em troca tomaram vantagem de uma mente vulnerável para "converter" aquela pessoa à sua "justa" causa. Não era algo feito pela pura vontade de apenas ajudar sem o desejo de "converter". Uma mente em desespero é tão mais fácil de convencer quando você é "a última esperança" desta. Eles são como abutres que banqueteiam sobre o livre arbítrio alheio, para sempre os acorretandando à sua vontade. Deve ser por isso que muitos deles usam preto como a sua roupa religiosa. Não é incomum que um deles tenha duas faces: Um lado ilusório que mostram de amor divino para todos e um lado real horrível porém oculto. O lado que você vai ver depende se você engole o que eles falam ou não; e alguns nem prestativos são, achando em seu "sono desperto" que apenas rezando "o mundo será salvo e terei um lugar no paraíso".

Religiosos alucinados no passado humilhavam, torturavam e assassinavam (preferencialmente tudo isso junto) dos jeitos mais nefastos crianças, mulheres, homens e especialmente pessoas LGBT enquanto se "divertiam" sob um disfarce de "justiça divina"; e não se enganem, eles o fariam novamente se isso hoje em dia não fosse visto como "não legal" pela sociedade. As pessoas religiosas radicais convenientemente esquecem destes detalhes. Alguns machucam os outros de qualquer forma mesmo agora. Por exemplo, uma das "punições" por uma pessoa simplesmente gay "desafiar a Deus" era abrir a sua barriga e colocar carvão em brasa dentro... Com o tempo eles estão aceitando mais as pessoas trans, seria porquê a voz da razão finalmente os tocou? Definitivamente não. Isso ocorreu porquê pessoas trans normalmente trabalham duro para ter o dinheiro que precisam para a sua terapia hormonal e cirurgias, tudo se resume ao dinheiro e a pressão da sociedade moderna. Mesmo sob tais circunstâncias eles têm dificuldade em aceitar pessoas como nós como seres humanos, como se fosse um favor e não um direito, e ao mesmo tempo pregam que "todos devem se amar". Hipócritas. O seu "amor divino" é voltado apenas para as suas próprias hordas desprovidas de racionalidade ou pessoas que eles acreditam que possam ser "salvas" e vir a fazer parte de seu "exército" (termo já usado por alguns deles). Ironicamente eles nunca admitirão serem radicais.

Pessoas Pobres Rudes

A religião também auxiliou a criar o mito de que toda pessoa pobre é uma pessoa injustiçada que na verdade é boa e humilde. Errado. Quantidade de posses não define caráter. Têm jeito melhor melhor de converter a seu favor a maioria das pessoas do que acariciar o ego destas, tendo em vista que a maioria do mundo consiste em pessoas pobres? A mídia é outra adepta desta técnica para conseguir audiência. Muitas das pessoas mais crueis no abuso verbal e físico de mulheres trans são pessoas pobres. No Brasil existe até um bom exemplo: Uma pessoa trans chamada "Dandara" foi socada e chutada sem motivo ou reação, e posteriormente baleada até a morte por um punhado de gente de uma favela brasileira que inclusive riam enquanto o faziam. Qual o motivo? Alguém disse que esta havia roubado algo, e os outros usaram isso como pretexto para a assassinar e ter alguma "diversão" enquanto isso. Logo ficou claro que era uma mentira e ela era uma pessoa inocente que nada havia roubado. Certamente que ser maligno independe de classe social, temos pessoas ricas igualmente malignas e temos pessoas pobres gentis; mas eu de fato notei que pessoas cisgênero pobres com mais frequência eram ofensivas a pessoas trans como nós e mais intensas ao o fazer.

Outro caso foi o de um caminhoneiro que torturou com uma arma de choque e tentou matar uma mulher trans amiga minha simplesmente porquê ela não quis fazer sexo com este de graça (ela trabalha vendendo o seu corpo). Por sinal vários caminhoneiros são clientes assíduos de prostituição infantil... Em outro caso uma pessoa trans foi morta e seu coração arrancado de seu peito e existem muitos casos como estes no Brasil, o país de "pessoas amigáveis e alegres". Quantas vezes eu vi garçons, taxistas e pescadores abusarem verbalmente de uma mulher trans que perceberam ser pobre como eles, palavras como "viadinho", "retardado" e "travecão" eram ditas junto de gargalhadas. Ironicamente as vezes eu os via sendo discriminados também por serem "desprovidos de posses". Esse tipo de gente é tão frustrada em ser burra e pobre que facilmente recorrem a odiar algo ao invés de si mesmos. Covardes. No meu caso que tenho mais renda eles nunca ousaram o fazer, as vezes falavam algo baixinho apenas pelas minhas costas; e quando eu percebia eu tomava as medidas necessárias para os punir e mostrar aos outros não só o tipo de gente que eram como os usando de exemplo para que pessoas iguais se sentissem acuadas ao fazer o mesmo. Ao mesmo tempo eu comentava na página de seu local de trabalho e com meus amigos sobre o tipo de pessoas vergonhosas que eram com outros seres humanos. Uma mulher trans na medida do possível deve sempre reagir dentro da lei para que estas pessoas sejam forçadas a serem civilizadas e isso não se repita, eles não o farão de boa vontade.

Em outra situação enquanto eu treinava auto-defesa, enquanto um lutador que era da favela e negro deixava o local de treinamento eu disse um simples "tchau" a ele e este respondeu de um jeito jocoso com um "tchau viadinho". Eu esperava mais compreensão de alguém que também havia recebido o pior da sociedade como eu. Devo mencionar também a afinidade de algumas pessoas assim de comprar motos e carros com as maiores caixas de som e luzes decorativas que puderem pensar em uma tentativa desesperada de atrair a atenção da vizinhança e as vezes das "novinhas", e "foda-se a vizinhança" se não gostarem da "música" alta com linguajar ofensivo em que mulheres são apenas um objeto sexual a ser "fodido", as vezes inclusive com apologia ao crime e drogas. Isso ocorreu em TODOS os lugares que eu já vivi que possuiam uma favela próxima. Não é raro alguns reclamarem algo sobre "ricos vs pobres" quando contrariados em algo, de comentarem sobre como algumas pessoas falam sobre como são "rudes"; como se fosse uma mentira em alguns casos. Não tenha pena de alguém exlusivamente por ser pobre, tenham pena de pessoas boas que precisam de ajuda independentemente de quantidade de posses.

Radicais Políticos

Muita gente na comunidade trans é pobre, e normalmente apoiam os políticos mais populistas independentemente das outras coisas possívelmente erradas que façam; eles pensam mais no ganho imediato das coisas que recebem deles na condição de minoria. No Brasil a maioria da comunidade trans era partidária radical de um partido chamado de "PT" ou partido dos trabalhadores; sim, aquele famoso por corrupção e por ter laços com governos ditatoriais comunistas. Eles são piores que os outros pois eles falaram que fariam diferente por serem "do povo" quando foram iguais aos outros políticos corruptos ou mesmo piores. Quantas vezes eu tive de na juventude esconder que era de um partido rival, e depois quando mais velha e já sem partido, o esforço que fiz para evitar tocar no assunto por ter percebido que a política no Brasil está à muito podre, sempre com os mesmos dois tipos de partidos corruptos como opções de escolha ao fim. As massas são facilmente manipuláveis quando pobres, e a maioria no Brasil assim o é. Depois essas pessoas reclamam da vida mas sem quaisquer razão, pois quem escolheu os políticos foram eles pensando apenas no ganho imediato e ao fazer isso condenaram todo o resto que decidiram melhor mas eram em menor número nas urnas. Faz sentido que os políticos façam um esforço considerável para manter as pessoas pobres, pois é lucrativo; inclusive eu já ouvi coisas como "votarei em fulano, esse rouba mas faz!"...

Não raramente os mais radicais inclusive praticam o abuso físico ou mesmo matam as pessoas que acreditam estarem no "partido errado". Quando eu não tinha mais um partido político, segundo gente assim eu "estaria por omissão tomando o pior lado, o dos partidos políticos que não o nosso", e após um "belo" sermão tentavam me "converter" para a sua "causa nobre". Quando eu dizia que não existiam partidos realmente honestos no Brasil, eles tentavam me convencer com "mas o nosso é menos pior". Todos os casos de corrupção que foram provados pela polícia, para eles eram "mentiras da oposição" ou simplesmente fatos a serem ignorados por serem incovenientes, seja porquê lucravam daquele partido de alguma forma ou porquê eram seguidores cegos deste em um desejo deplorável de se sentirem "melhor" que os outros seres humanos dos "partidos errados" e poderem os odiar ao invés de a si mesmos. Você não precisa esconder o seu partido político ou aguentar tentativas ridículas de conversão para um partido quando você não têm mais lados. Você não precisa de um partido político para mudar o mundo; pessoas religiosas foram as primeiras a entender isso, mas eu posso dizer por experiência que você não precisa sequer de religião. Pense fora da limitada caixa humana.

Feministas Radicais

Mulheres foram escravizadas por toda a história masculina da humanidade e ainda o são; mesmo sendo apenas uma variante de humano que funciona com base em outro combustível (hormônios) que causam pequenas mudanças físicas e psicológicas comparada a variante masculina. No Brasil não é raro que uma mulher adulta ou criança seja estuprada; e existem os muitos casos em que ela sofre abuso verbal, físico ou mesmo acaba morta meramente por ter "recusado a um homem". Em lugares com uma interpretação radical muçulmana por exemplo, elas morrem por "se recusar a obedecer as regras de Deus" (na verdade feitas de homens para homens), e elas mesmas começam a acreditar que assim deveria o ser pela lavagem cerebral que recebem desde que nascem. As feministas entendem isso bem, e seria logico pensar que como nós mulheres trans passamos pelo mesmo, que todas as feministas seriam simpáticas à nossa forma de ser mulher correto? Sororidade feminina e tudo mais? Errado.

Corra das feministas radicais, pois algumas acreditam que você ter nascido fisicamente homem e desejar transicionar para mulher seria na verdade "um homem tentando roubar de nós mulheres o direito de ser mulher"; dá para acreditar em um "argumento" desses? Mesmo para homens que são "normais" segunda a sua visão, mesmo que homens prestativos, receberão bastante abuso verbal destas tendo em vista que "homens são todos criminosos, a única coisa que você pode fazer por nós seria cortar o seu pênis fora" (como é que bebês seriam feitos?). Não esqueçamos que existiram e existem mulheres que torturam e matam crianças, outras mulheres e homens; o fato é apenas que talvez por questões hormonais e de porte físico, homens o fazem com maior frequência. Ao proceder assim elas se tornam hipócritas que querem ser respeitadas como iguais (as vezes querem ser melhor que os outros), como seres humanos, mas que não respeitam. Não discutam com elas, elas apenas irão citar frases de vários livros feministas radicais que leram e para elas você sempre será um "travesti ridículo" enquanto elas as "defensoras da verdade". Você estaria bem melhor sem feministas radicais, apelidadas na web de "feminazi". Quanto as outras menos radicais, estas são menos inclinadas a ser intelectualmente limitadas e portanto com elas você pode lutar por mais direitos para as mulheres e menos opressão masculina. Juntas.

Lutadores Homem Grosseiros

Antes de tornar público que se é uma mulher trans, seria sábio aprender a se defender correto? Correto. O maior problema seria que a maioria dos lugares que ensinam auto-defesa não apenas são ambientes masculinos, como são bem machistas, repleto de gente agressiva, instavel, hipocrita e arrogante. Você pode dizer: "Por quê você não foi aprender auto-defesa em um lugar focado apenas em mulheres?", e eu diria que seria porquê esse lugares são raros. Tenha algumas poucas avaliações a respeito que podem lhe ser úteis para entender a situação na àrea de blog do site > avaliações > auto-defesa. Ao fim eu simplesmente desisti de aprender no norte de nordeste do Brasil. Não sei se assim o é no resto do Brasil e mundo no entanto.

Várias pessoas assim rapidamente lhe rotulam como "gay" se você for um homem mais sensível. Todos que não se encaixam em seu padrão "elevado" de "masculinidade" são automaticamente "gay", termo usado de um jeito ofensivo enquanto riem porquê para eles ser gay é isso e não apenas uma orientação sexual. O jeito "certo" sempre é ser agressivo, e não é raro que um deles seja agressivo com novatos sob pretextos dos mais irracionais, que o novato fez algo "errado"; sempre com os novatos que parecem mais fracos, não com homens do tamanho e força deles... o pior é que outros os apoiam ou ao menos ignoram o ocorrido, gerando uma corrente de "valentia" contra os mais fracos. Longe de um professor alguns eram muito rudes com os outros mas perto eram bem gentis, "magicamente" mudando. Típico de muitos homens, muita testosterona e baixa auto-estima unidas a um desejo infantil de provar que são superiores a alguém por meio da força bruta (não pela inteligência). E comum terem problemas em casa com sua esposa e dizerem que a culpa é das mulheres...

Eventualmente eu consegui respeito de alguns deles por nunca ter desistido apesar das chances contra um até então homem "sensível", "esquisito", baixinho e magrelo. Iria este respeito conquistado arduamente durar muito após eu ir embora e posteriormente tornar público online que eu era uma pessoa trans? NÃO. A maioria foi embora, e aqueles que ficaram como o esperado se tornaram distantes; e como todos os casos acima eu tive de eventualmente os remover de minha vida. Na verdade eu nunca me importei com receber respeito, só queria aprender auto-defesa mesmo. Muitos lutadores (mas obviamente não todos) são pessoas que apenas sabem unicamente como socar e chutar corretamente as pessoas; cães raivosos que sem a coleira da religião ou da disciplina das artes marciais já teriam trazido caos à sociedade à muito tempo. As vezes eles o fazem mesmo com esta "coleira". A verdade é que as vezes eles inclusive se orgulham de assim o ser, as vezes inclusive de serem machistas. Quando aparecia uma rara lutadora feminina, eles a tratavam de um jeito bem diferente dos homens; muito, mas muito gentilmente, mas na hora da luta era visível que alguns deles não estavam confortáveis e isso por sua vez deixava as lutadoras desconfortáveis. A maioria das lutadoras femininas não duravam muito em locais de treinamento.

Amizades e Laços de Sangue Superficiais

Você ficaria surpresa com a quantidade de gente que você considera amigos dentro ou fora de sua família que irão "sumir" quando você tornar público que é uma mulher trans. No caso da família isso é pior, pois em teoria estar na mesma família significaria maior apoio. Mentira

Por exemplo, eu tinha uma tia que dizia que faria tudo por mim; a minha mãe era muito boa para com ela e uma vez ela inclusive ficou alguns dias comigo em casa para que eu não ficasse sozinha tendo em vista que meus pais haviam viajado. Ela foi a primeira para quem contei que achava ter encontrado o que eu precisava para ter uma vida menos triste e que esse algo era eu reconhecer ser uma mulher trans; e sabe qual foi a resposta? Ela disse que "e tudo coisa da sua cabeça, esquece isso". Ela não me ajudou em nada. Outro dia, quando eu disse que meu pai estava sendo abusivo comigo e minha mãe, tudo o que ela disse foi que "Não quero mais falar sobre isso! Seu pai jamais faria isso" e foi complacente com aquele comportamento, provavelmente porque o meu pai resolvia muitas coisas para ela e adicionalmente ela era a sua irmã. Existem muitas pessoas com as quais você não pode realmente contar quando realmente importa, apenas para coisas simples. Além disso, ela era uma pessoa religiosa que falava muito sobre os defeitos alheios mas não enxergava os seus próprios; e ir para a minha casa lhe propiciou uma breve fuga de sua própria, a qual não gostava.

A minha irmã foi a segundo para quem contei e tudo o que ela disse foi que "você não gostaria de ser mulher" pois ela não gostou do que vivenciou na vida devido a seu sexo e chegou a conlusão de que eu também seria infeliz; sendo o assunto logo esquecido (não por mim). A minha mãe inicialmente tentou me impedir de contar a verdade a meu pai, e se ela tivesse obtido êxito eu jamais agora seria uma mulher trans oficialmente. Uma vez eu dei uma carta para ela mostrar a meu pai e ela não o fez. Com todo esse "apoio familiar" eu tive de postergar por mais de 3.5 ANOS a minha terapia hormonal, e quando você já tem uma certa idade esse tempo perdido faz falta. A minha vida e a deles começou a de fato melhorar muito apenas DEPOIS de eu me assumir, e eles inclusive reconheceram isso. Na época eu recebi mais apoio de gente fora de minha família.

Sobre os amigos de fora, na verdade, pode não ser algo tão inesperado o que eu vou dizer a seguir: Que aqueles mais distantes são justamente aqueles mais inclinados a "fugir para as montanhas" quando você vier a público como mulher trans, enquanto os mais próximos têm uma maior probabilidade de ficar. Outro ponto importante é mencionar que as pessoas mais amigas daqueles que ficarem contra você que de você mesma terão uma probabilidade muito maior de também o deixarem, mesmo que o erro não tenha sido de sua parte: "os amigos de meus inimigos são os meus inimigos" seria uma boa frase a respeito. Não seja uma coadjuvante na vida dos outros, não se contente com migalhas: Só gaste tempo com aqueles que a tratarem como uma das atrizes principais de suas vidas.

Felizmente para mim eu escolhi os meus amigos baseado em laços de espírito e não laços de sangue ou outro fator incoerente como aumentar o número de "likes" ou de "seguidores" e poucas pessoas me abandonaram; sendo que os erros foram devido ao fato de que é impossível acertar na escolha dos amigos em 100%. Fui eu quem removi muitos que eu vi que me aceitavam apenas pela metade e eu aceitava isso por medo de ficar sozinha do que pela qualidade da amizade; você aprenderá a abraçar ser sozinha e será aí que você não ficará por ter aprendido a escolher melhor os amigos. Posso dizer que ao acabar, você poderá contar nos dedos de duas ou mesmo uma mão os seus amigos de verdade.

Psicólogos e Psiquiatras Sem Empatia

Era raro para mim encontrar uma profissional da mente, trans ou não, que realmente tivesse o controle de sua própria mente. Como pode uma pessoa ter recebido um diploma de psicologia objetivando ajudar as outras pessoas com suas mentes se eles não são capazes de entender e controlar as suas próprias eu me pergunto? A fama deles no Brasil e tanta que quando eu considerei me tornar uma psicóloga eu mesma no passado, os meus pais me disseram para desistir pois eram "todos malucos". Uma pessoa que praticamente surtou simplesmente por ter entendido errado em um dos grupos trans dos quais participei, e que recomendou uma médica sem licença, ela ERA uma psicóloga. Teve uma pessoa que nunca vi na vida que me pediu ajuda, eu dei, e depois quando eu me recusei a falar de política esta pessoa começou um sermão sobre como ela estava vendo "claramente" a verdade de que eu seria de um partido opositor e me bloqueou nas redes sociais em seguida para que eu não respondesse (nem tinha a vontade de tal); pois em seu egocentrismo ela simplesmente estava certa e eu errada. Deve ter se sentido um maximo falando o que queria mas não deixando a outra pessoa responder. Ela era também uma mulher trans, e que coisa estranha: Uma psicóloga. Que divertido foi o fato de que a pessoa antes de nossa pequena discussão falou tanto sobre "diversidade dos pontos de vida, respeito e humanidade".

Durante a minha terapia hormonal eu tentei um deles de alguma fama na cidade de Fortaleza (no Ceará) para obter uma medicação que reduzisse a ansiedade e o homem não me disse que ela poderia amplificar tendências suícidas, e foi exatamente isso que me aconteceu: Eu quase morri mas isso não ocorreu porquê eu era covarde demais para fazer algo. Eu tentei entretanto, mas nada severo; e eu por mim mesma parei o medicamento que ele me deu e logo eu estava sã novamente. Eu também fui até ele para efetuar o diagnóstico de autismo e tudo o que ele me disse foi que "você têm algumas características, mas se realmente o tiver, é tão leve que eu não aprofundarei o assunto"... Quem era ele para decidir o que valia a pena ou não se o autismo me incomodava? Uma vez eu o vi falando alegremente com o representante de um laboratório que queria que ele sugerisse o seu novo remédio a seus pacientes! Ele recebeu uma pilha de "amostras grátis".

Mais tarde, outra psicóloga me disse que eu de fato tinha autismo leve e que eu deveria trabalhar com ela a respeito disso; mas quando eu disse que tudo o que eu queria era saber o que tinha e não consultas adicionais para "tratar" isso, ela começou a reagir diferente. Mesmo comigo falando nas consultas passadas que eu havia melhorado muito da infância até a idade adulta por auto-análise própria alguns pontos do autismo, ela ousou achar que eu era incapaz de resolver os meus problemas sozinhas provavelmente porquê não ganharia dinheiro com consultas adicionais. Achou que eu era como uma qualquer que dependia totalmente de um profissional da psicologia para pensar, para se conhecer. Apenas bem depois foi que ela mudou o seu jeito de falar, e disse que acreditava ainda ser capaz de "agilizar" o processo de auto-melhoria. Ela então perdeu o interesse em me contactar provavelmente porquê eu não fiz tudo o que ela queria, revelando uma arrogância e hipocrisia. Foi uma luta para ela me dar depois o recibo das consultas e o laudo (obrigação dela), e ao fim foi um laudo com algumas imprecisões, sem empatia, algo que ironicamente ela disse que era característica minha e novamente dizendo apenas que era "provavel" eu ter autismo e que eu deveria procurar outro profissional para a confirmação. Basicamente ela não queria mais me consultar e nem mais eu queria isso. Eu consultei outra psicologa a respeito e ela disse que isso não era um comportamento digno da categoria.

Mas a pior foi uma mulher de certa idade que no começo de tudo eu esperava que me desse um atestado afirmando que eu era mulher trans; eu achei que ela entenderia a minha situação melhor por ser mulher. Ela me enganou ao dizer que me "ajudaria" desde que eu aceitesse primeiro ter consultas referentes a meus "traços de anti-sociabilidade" (para ganhar dinheiro). Por um tempo eu o fiz por ainda ser muito ingênua no passado, mas logo eu tive de mudar de cidade devido ao trabalho de meu pai e quando eu perguntei sobre o atestado prometido tudo o que ela me disse foi que "não posso o dar pois não tenho qualificação para isso". Então porquê ela "prometeu" que poderia me dar inicalmente? Simplesmente para dobrar a minha vontade... Curiosamente, a questão "anti-social" melhorou muito depois que eu pude oficialmente me assumir como mulher trans e quase concluir a transição e não antes. Foi apenas o psicólogo da cidade seguinte, um homem, que claramente viu que eu era uma mulher trans e me deu um atestado após algumas consultas, simples. Agora ele sim era um bom psicólogo, assim como a minha psicóloga trans que conheci depois. Tudo o que eu lembro da velha mulher que me atendeu na cidade de Belém é que a chamavam de "doutora Ana". Talvez seja apenas o Brasil que tenha profissionais da mente mediocres em tão grande quantidade.

Pessoas Famosas Arrogantes

Sejam eles medicos ou outra coisa, pessoas famosas ou que acham que são famosas tem a tendência a lidar com voce como se fosse um favor e não como um ser humano igual. Caso você as critique, mesmo que construtivamente, em sua arrogância elas ficarão contra você e inventarão mil e uma coisas para na mente deles você parecer completamente errado e eles completamente certos. Existem muita gente assim seja em relacionamentos profissionais ou pessoais no nordeste, onde eu ja vivi. No caso de profissionais e pior, pois você esta pagando não raro altos valores e eles não querem que ninguem os critique mas ironicamente não querem melhorar.

Gente LGBT Instável

Surpresa? Sim, tenha muito cuidado ao lidar com gente de nossa própria comunidade como eu disse no artigo passado sobre o cenário trans.

Um exemplo é o de um homem japonês gay que conheci em um site de troca de conhecimentos sobre o japão e que era bem gentil comigo, mas ao perceber que eu não era gay e sim uma mulher trans que alteraria o seu corpo ele comentou sobre como eu "não devia fazer isso, você é um homem lindo!" e "magicamente" se distanciou de mim. Interesseiro como muitos do meio. Existem casos de gente gay que diz que mulheres trans estariam "mentindo para si mesmas", que elas deveriam "aceitar que são gay ao invés de tentar modificar o seu belo corpo masculino"; indicando a total falta de entendimento sobre o que seria ser mulher trans, a diferença entre orientação sexual e identidade de gênero e sendo completamente intolerante enquanto choraminga por tolerância da sociedade. Uma das minhas antigas colegas de administração do grupo que ajudei a criar, a qual era uma mulher trans, disse que certa vez uma mulher cisgênero lesbíca tentou a drogar e estuprar em um banheiro durante uma festa; sendo que a minha colega gostava de homens apenas e obviamente não apreciava ser estuprada. Estranho de falar não é? Mas de fato mulheres também estupram. Quem a salvou foram os seus amigos que estavam na festa. Outra beijou a força uma outra colega, mas não passou disso quando esta com educação recusou investidas adicionais. Teve um caso criminal nos Estados Unidos sobre um grupo de mulheres lésbicas em que uma delas que era novata foi assassinada lenta e dolorosamente por uma delas enquanto a outra assistia pois seria algo "excitante". As duas fizeram sexo depois. A propósito, isso se aplica a gays e outras categorias da comunidade também; na condição de humanos sempre tem as frutas podres.



Última atualização: 2022/02/17